PAPO APURADO – POEMA

Blog do Dirceu Rabelo

PAPO APURADO

.

Dirceu Thomaz Rabelo

.

Espelho2

.

Quem na vida já não teve

Altos papos consigo mesmo

Que, na maioria das vezes são silenciosos,

Principalmente, quando se está diante do espelho.

Às vezes destilamos ódios contra as pessoas

Com as quais convivemos nos dias últimos

Tramamos vinganças infantis para os dias posteriores

Por pequenos, ou menores atritos, já ultrapassados;

Contrariedades que nos acontecem no dia a dia

Mas, que ficamos remoendo, como tolos que somos…

Se o chuveiro está ligado e um banho nos aguarda

É o tempo de olharmos uma vez mais nossa carantonha,

Que ainda guarda resquícios de triste passado espiritual

E deixar que uma boa ducha caia suave sobre a gente

Como uma bênção Divina a purificar-nos corpo e alma.

Vem-nos reviravolta e santificante “insanidade”

E em voz alta perdoamos um a um, aqueles pobres irmãos,

Que no passado, certamente seriam nossas vítimas.

E não mais…

Ver o post original 88 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s