Sobre o fechamento das clínicas de aborto no Rio de Janeiro e a clandestinidade de nossos corpos

Marcha Mundial das Mulheres

Por: Ana Pimentel*

Na última sexta-feira (13), foi noticiada a desarticulação de uma rede de clínicas de aborto que atuava na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O processo está correndo. Embora as reportagens que saíram na mídia tenham apresentado poucas informações, esse caso também sinaliza um imperativo de ação dos governos do Rio.

Enquanto apenas uma notícia, o fechamento de mais uma clínica não parece novidade. Existem clínicas de aborto em diversos locais no Brasil, e é esperado que essas se articulem e formem redes de cooperação. Existe um conjunto de técnicas envolvidas, e certamente essas técnicas circulam na clandestinidade.

Sabe-se que o principal método de aborto provocado hoje no Brasil é clínico, ou seja, não envolve tipicamente a cirurgia. Trata-se do uso do misoprostol. Inclusive, sua utilização tem alterado a epidemiologia do aborto nas últimas décadas. De todo modo, as clínicas são uma realidade e permanecem sendo a…

Ver o post original 628 mais palavras

2 pensamentos sobre “Sobre o fechamento das clínicas de aborto no Rio de Janeiro e a clandestinidade de nossos corpos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s