FÉ NA PORRADA

atendimiti

Em boa parte da mínissérie, a religião está para A Bíblia (The Bible: Estados Unidos e Inglaterra, 2013) como a história está para o videogame Assassin ‘s Creed: é só um pretexto para a sangria desatada. Se o livro sagrado já é pródigo no relaro de guerras e assassinaros, a série, com muita liberdade narrativa. enfariza e estiliza a violência. No episódio da destruição de Sodoma e Gomorra, os anjos que resgatam ( da primeira cidade estraçalham uma multidão furiosa com golpes de artes marciais. O jovem Moisés trava uma luta de espada com o faraó. que sai da refrega com um talho no rosto. E nem o Gênesis fala de anjos com faixa preta em jiu-jfrsu, nem o Êxodo apresenta Moisés como um pirata do deseno. No Novo Testamento. há menos margem para ação. Mas a crucificação de Jesus (o aror português Diogo Morgado) parece criada pelo fotógrafo publicitário…

Ver o post original 299 mais palavras

Você em primeiro lugar!

Primeiramente se ame. Goste do seu corpo, da sua voz e do seu jeitinho. Aceite a mania que você tem de se apegar ou se desapegar. Goste do seu cabelo seja ele ondulado, crespo, liso, enrolado… Fique contente ao se vestir, pois você se veste para si mesmo; para se agradar. Goste do seu andar e do seu falar. Seja sua voz fina, grossa, rouca, ou de qualquer outra maneira. Goste do seu andar seja ele torto, reto, apressado ou lento. Ame o seu peso, e caso não se contente, se esforce até gostar. Se contente com sua altura. Se contente com você e com o seu eu. Se contente com seus jeitos e manias. Goste do seu sorriso, pode ser tortinho, amareladinho, mas sorrir faz parte da felicidade. Goste da maneira como gesticula ou como pega gírias rapidamente. Goste de sua mania de sentir. Goste da sua maneira de demonstrar ou não o amor. Goste de você. Ame a si mesmo. Ame. Ame mesmo. Se namora, para depois pensar em amar outro alguém.

Desafios para a legalização do aborto na América Latina: uma reflexão sobre o caso do Equador

Marcha Mundial das Mulheres

Por: Maria Júlia Montero*

Nas últimas semanas, chamou-nos a atenção o desenrolar do debate sobre a questão do aborto no Equador. Lá, está em curso uma mudança no código penal, trazendo novamente a polêmica da (des)criminalização do aborto. Porém, no país cujo governo é um dos participantes do bloco de esquerda na América Latina, esse debate parece estar mais difícil do que nunca.

 A deputada Paola Pabón, do Allianza País, partido de Rafael Correa, propôs que sua bancada defendesse, nas alterações do código penal, a descriminalização do aborto em caso de estupro – atualmente, a legislação permite o aborto caso a violação seja feita apenas contra mulheres com problemas psiquiátricos ou neurológicos ou em caso de risco de vida da gestante.

 Essa posição causou a fúria do presidente Rafael Correa, que chegou a dizer que, caso essa proposta fosse aprovada, renunciaria ao seu cargo. Ainda, chamou as/os parlamentares favoráveis…

Ver o post original 1.412 mais palavras